Agente da polícia mata filho de colega com disparo de arma de fogo por força da “água do Chefe”

Celestino
2 Min Read

Domingos Jorge, de 20 anos de idade, estudante da 11ª classe, foi assassinado com um tiro de arma de fogo, pelo vizinho que estava em avançado estado de embriaguez.

Sexta-feira, 24 de Maio, por volta das 17 horas, Domingos despediu-se da sua mãe, Albina Alberto, que iria jogar futebol . Posto lá, deparou-se com uma confusão de grupos de marginais rivais, e ele decidiu voltar à casa.

“Assim que ele chegou ao campo, já não havia condições para jogar a bola, e quando voltava para casa, o vizinho pegou na sua arma do tipo pistola e fez dois disparos, um dos quais atingiu o meu filho na região da coxa e rebentou os testículos”, contou, reforçando que o seu filho não fazia parte de nenhum grupo de delinquentes; era bom jovem e estudante.

Domingos Jorge não resistiu aos ferimentos e conheceu a morte às 19 horas de sexta-feira, no hospital dos Cajueiros.

- PUB -

Mauro António Laurindo, amigo do malogrado, falou ao NA MIRA DO CRIME que o agente da polícia de tanta bebedeira, ainda brincava com a pistola, depois de fazer os disparos, como se nada tivesse acontecido.

Informações dão conta que, nesse dia, o homicida gritava desde o período da manhã que iria matar.

“Ele começou a fazer o uso da bebida tradicional, vulgo água do chefe, dizia sempre que hoje vou matar”.

No local dos factos, ficou-se a saber que o suposto assassino responde pelo nome Baptista, e é subchefe da 46ª esquadra.

Share This Article
Leave a comment