Ad imageAd image

Agricultura direcciona prioridade à produção interna de arroz e trigo

Isaías Raposo
2 Min Read

O sector da Agricultura elegeu, para o ano agrícola 2023-2024, a produção de cereais, com realce para o arroz, para alavancar a produção interna e diminuir a importação deste alimento, que nos últimos cinco anos custaram ao país cerca de 1,5 mil milhões de dólares.

Segundo o director nacional das Florestas, Domingos Veloso, que procedeu à abertura da VI conferência E&M sobre Agricultura, realizada ontem, em Luanda, o consumo médio anual de arroz é de 500 mil toneladas, das quais a produção interna apenas contribui com cerca de 30 mil toneladas.

O outro produto seleccionado para o aumento dos níveis da produção, neste ano agrícola, é o trigo, que poderá marcar um ponto de viragem.

“Uma parte considerável dos alimentos que chegam à mesa dos angolanos, principalmente os cereais, continuam a ser obtidos por via das importações, o que faz com que o país absorva enormes quantidades de divisas que poderiam servir para alavancar a produção interna destes produtos”, frisou Domingos Veloso.

Quanto aos baixos níveis de produção de outros produtos, Domingos Veloso indica que a resposta se cinge no aumento da produção interna, na remoção dos constrangimentos ainda existentes e no reforço das políticas sectoriais para garantir a auto-suficiência, uma vez que Angola reúne condições naturais para tal, e já foi um dos maiores exportadores de produtos agrícolas do mundo.  

Domingos Veloso destacou que o actual quadro macroeconómico e as constantes crises que decorrem no mundo têm reforçado o compromisso dos diferentes Governos a redobrar esforços para o aumento de alimentos, visando a redução das importações.

Share This Article
Leave a comment