Cinco países criam visto partilhado de turismo

Isaías Raposo
4 Min Read

O novo visto de estilo Schengen (da Zona Euro) para a África Austral deverá impulsionar o turismo, simplificando as viagens em Angola, Botswana, Namíbia, Zâmbia e Zimbabwe, conforme noticiam agências internacionais.

Este visto unificado, espelhando o visto Schengen europeu, permite viagens transfronteiriças contínuas, o que atrai mais visitantes e aumenta o apelo da região como um dos principais destinos de viagens.

Os promotores esperam que esta iniciativa impulsione o crescimento económico e reforce a cooperação regional no turismo.

Os cinco países concordaram, com esta medida, em alargar o regime regional de vistos, que assim simplifica as viagens transfronteiriças.

- PUB -

Angola, Botswana, Namíbia, Zâmbia e Zimbabwe são todos membros da Área de Conservação Transfronteiriça Okavango – Zambeze (KAZA). Vão agora participar no “Univisa” alargado.

O visto, inicialmente, abrangia a Zâmbia e o Zimbabwe, permitindo visitas curtas ao Botswana via Kazungula. O objectivo é aumentar o número de turistas e agilizar as viagens dentro da região.

Durante a recente Cimeira de Livingstone, na Zâmbia, os líderes do KAZA concordaram em alargar a cobertura do “Univisa” a outros países, tanto dentro da área de conservação quanto da maior comunidade económica da África Austral.

O Vice-Presidente do Botswana, Slumber Tsogwane, confirmou o compromisso do país em adoptar, integralmente, o “Univisa”.

Além disso, os Estados membros do KAZA estão a defender que a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES) levante a proibição do comércio de elefantes e de marfim. A CITES, criada para regular e restringir o comércio de vida selvagem para evitar a sobreexploração, impôs uma proibição ao comércio comercial de marfim de elefante africano em 1989 devido a declínios significativos nas populações de elefantes.

- PUB -
Ad image

Os países KAZA argumentam que o levantamento destas restrições lhes permitiria vender marfim acumulado, avaliado em aproximadamente mil milhões de dólares, com receitas dedicadas aos esforços de conservação.

Outros vistos semelhantes

O processo de pedido de visto Schengen foi lançado globalmente no final de Novembro de 2015. O Espaço Schengen, Luxemburguês, é uma área que abrange 29 países europeus que aboliram oficialmente os controlos fronteiriços nas suas fronteiras mútuas. Sendo um elemento dentro da política mais ampla de liberdade, segurança e justiça da União Europeia (UE), funciona principalmente como uma jurisdição única no âmbito de uma política comum de vistos para fins de viagens internacionais. A área tem o nome do Acordo de Schengen de 1985 e da Convenção de Schengen de 1990, ambos assinados em Schengen, Luxemburgo.

- PUB -
Ad image

Da mesma forma, espera-se que o visto turístico unificado do GCC (Conselho de Cooperação do Golfo) seja lançado entre 2024 e 2025. O visto visa simplificar as viagens entre os seis países do GCC: Bahrein, Kuwait, Omã, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos. Permitirá que os turistas visitem vários países com um único visto, semelhante ao visto Schengen. O visto de turista unificado do CCG foi concebido para aumentar o turismo na região, atrair viajantes de longa distância da Ásia, Europa e Estados Unidos e estender a estadia máxima para 15 dias nos Estados-membros do Conselho.

Share This Article
Leave a comment