Ad imageAd image

Pugilista congolês morre após ‘K.O’

Celestino
2 Min Read
A foto é apenas ilustrativa ©por Dear1.0

Ardi Ndembo não resistiu aos ferimentos e morreu, nesta segunda-feira, em Miami, EUA. O pugilista de 27 anos, natural da RD Congo, estava há três semanas em coma induzido, devido aos vários ferimentos que sofreu no combate que perdeu, por KO, diante de Néstor Santana, a 5 de Abril, na Team Combat League da Flórida.

Natural de Brazzaville, Ardi Ndembo era pai de dois filhos. Antes do duelo mortal, tinha um recorde de oito vitórias e nenhuma derrota. A primeira acabou por ser fatal. No combate que perdeu com Néstor Santana, o pugilista congolês de pesos pesados esteve vários minutos inconsciente no ringue. Viria a ser transportado depois para um hospital em Miami, onde não resistiu aos vários ferimentos sofridos.

A ‘Viva Promotions’, promotora do combate, e a ‘Team Combat League’, já manifestaram pesar pela morte do pugilista congolês. Jeff Mayweather, tío de Floyd Mayweather Jr. e que fazia parte da equipa ‘Las Vegas Hustle’, de Ardi Ndembo, viu o combate que acabou com a vida do pugilista de 27 anos. “O boxe é um desporto em que cresces a vê-lo e a amá-lo, mas implica muitos riscos. Qualquer um pode perder a vida no boxe. Quando acontece, chama a atenção de todos. Não creio que o boxe seja violento, porque podes morrer em qualquer desporto.

Conduzes um carro de competição a 320 km/h e se perdes o controle, também morres. Pode-se morrer em qualquer desporto, mas o boxe é um desporto brutal”, comentou Jeff Mayweather, em declarações reproduzidas pelo ‘The Sun’.

Share This Article
Leave a comment