Petro entra para a lista dos campeões da BAL

Isaías Raposo
5 Min Read
A foto é apenas ilustrativa ©por Dear1.0

A quarta foi de vez! A equipa sénior masculina de basquetebol do Petro de Luanda entrou para a lista restrita de campeões da Basketball Africa League, fruto do triunfo, 107-94, sobre o Al Ahly Benghazi da Líbia, na Arena BK de Kigali, Rwanda.

Com a conquista inédita do título, os petrolíferos qualificaram-se antecipadamente para a primeira fase da próxima edição da prova continental. Diferente dos anos anteriores, em que o campeão se qualificava directamente para a fase final, actualmente é obrigado a jogar o apuramento numa das conferências.

O Zamalek do Egipto foi o campeão da primeira edição da prova continental em 2021. Na final disputada no mesmo recinto, Kigali, o Zamalek derrotou, 76-63, o US Monastir da Tunísia. O conjunto egípcio fez um brilharete na competição e foi coroado campeão, ante a formação tunisina.

No ano seguinte, 2022, foi a vez de o Monastir subir ao pedestal mais alto da competição africana de clubes. Diante do Petro de Luanda, o Monastir ganhou, 83-72, o conjunto angolano. Na final, os petrolíferos foram incapazes de travar a pressão aplicada pelos tunisinos.

- PUB -

Um ano depois, 2023, foi a vez do Al Ahly do Egipto vencer a Basketball Africa League. Na final derrotou, 80-65, o AS Douanes do Senegal. O desafio disputado na Arena de Kigali registou a maior enchente na fase final do ano passado, onde, entre os convidados, esteve o Presidente do Rwanda, Paul Kagame.

Os egípcios jogaram em alta intensidade e venceram todos os períodos com os parciais de 17-10, 38-33, 63-46 e 80-65. O sudanês do Al Alhy Anuwa Omot foi eleito MVP da competição. O jogador, draftado pela NBA em 2018, marcou 22 pontos, sendo o melhor cestinha do encontro.

Os playoffs da 2024 Basketball Africa League tiveram início, com a apresentação das oito melhores equipas das fases de grupos da conferência do Kalahari, Nilo e Saara, que saíram vencedoras em Pretória, África do Sul, Cairo, Egipto e Dakar, Senegal.

FUS Rabat Basketball (Marrocos), Petro de Luanda (Angola), Cape Town Tigers (África do Sul), Al Ahly (Egito), Al Ahly Ly (Líbia), Rivers Hoopers (Nigéria), AS Douanes (Senegal) e US Monastir (Tunísia) são as oito equipas que jogaram a última  fase final da BAL.

 A final da prova continental colocou frente a frente as duas melhores equipas da prova e ficou marcado pelo reencontro entre o base marfinense Solo Diabaté e os petrolíferos. A partida foi marcada pelo equilíbrio.

- PUB -
Ad image

A formação nacional tinha noção da responsabilidade e venceu, 26-24, no primeiro quarto. No segundo, o Al Ahly foi mais forte e deu a volta ao resultado, 28-14, com jogadas ensaiadas e chuva de triplos. Doze pontos de diferença espelham a superioridade dos líbios.

O Petro de Luanda voltou do intervalo maior com a missão de contornar o resultado, e o treinador montou uma estratégia a fim de estancar a ‘hemorragia’ ofensiva imposta pelo opositor. No terceiro quarto as duas equipas terminaram empatadas, 75-75, ao passo que o último foi de nervos. No princípio o Al Ahly esteve bem, com Diabaté a comandar as investidas da equipa.

Quando tudo indicava que o Petro iria perder o jogo, o extremo base Nicholas, ladeado pelos postes Jone Pedro e Cleusio Castro deu outra dinâmica ao duelo. O trio foi responsável pela reviravolta dos campeões nacionais.

- PUB -
Ad image

Os pupilos de Sergio Valdeolmillos mantiveram o pé no acelerador e seguraram o resultado, com uma vantagem de 13 pontos. Os líbios não tiveram arte nem engenho para travar a fúria dos petrolíferos, nem mesmo os 24 pontos de Majok Deng, ajudaram a “dar a volta ao placar”. No jogo destacaram-se os extremos-base Nicholas Faust com 24 pontos e Gerson Gonçalves “Lukeny”, com 22.

Share This Article
Leave a comment